Passar para o conteúdo principal

Ingredientes

INGREDIENTES
 

Ingredientes

 

ERVAS AROMÁTICAS

Algo indispensável na sua cozinha! Prefira sempre ervas frescas, que possa colher e utilizar no momento, do que ervas secas.

Para tal tenha um vasinho em casa com algumas ervas aromáticas que pode encontrar em qualquer supermercado. Elas apenas precisam de água e um pouco de luz!

Não se esqueça que deve sempre adicionar as ervas frescas nos últimos minutos de confecção do seu prato, para estas manterem o seu sabor o mais intacto possível.

Se tiver ervas secas então conserve-as hermeticamente ao abrigo da luz. Estas podem durar até 9 meses!

Deixamos uma lista de ervas a ter em sua casa.

Alecrim:
Intenso aroma com apontamentos de especiarias. Adequado para cozinhar carnes ou peixes grelhados. Preferível utilizá-lo fresco.

Cebolinho:
Utilize fresco e em cru para aromatizar e decorar os seus pratos. Pertence à mesma família da cebola e do alho, embora de sabor mais fino e discreto. O cebolinho deve ser cortado à tesoura (e não picado) e é um excelente aromatizante para as suas sopas, omeletes, molhos frescos e pratos de peixe. Coloque um vaso com esta erva na sua janela! 

Coentros:
Muito utilizados na cozinha mediterrânica, esta erva aromática combina perfeitamente com saladas, ameijoas e sopas. Além das folhas também se utilizam as suas sementes de sabor riquíssimo. Colha-os pelo pé e não apenas as folhas.

Erva-de-limão:
Erva aromática de intenso e fresco aroma a limão sem qualquer acidez. Apenas se utiliza o interior branco do talo que pode ser picado ou colocado inteiro para dar sabor a guisados. Combina muito bem com salteados, peixe e marisco.

Hortelã:
Esta erva é a variedade de menta mais conhecida. É excelente em molhos, cremes e xaropes.

Louro:
Fica sempre bem no típico refogado. Prefira colher as folhas no verão e secá-las à sombra.

Manjericão:
As suas bonitas folhas ficam bem tanto a decorar um prato como a aromatizar molhos e massas. O seu sabor perde-se muito ao ser cozinhado, deve adicioná-lo aos seus cozinhados no fim da confeção. Prefira ter um manjericão em sua casa, além de dar sabor aos seus pratos também decora a sua cozinha.

Orégãos:
Adequados para variadíssimos pratos, ficam maravilhosos com legumes, massas, saladas, molhos, entre outros. Pode seca-los e esmiuçar as folhas para um frasco de vidro hermético.

Salsa:
As suas aplicações são quase intermináveis, podendo ser usada para temperar carnes, molhos, caldos, risotos, marinadas, maioneses, saladas, entre outros. Utilizar sempre nos últimos momentos se cozedura para não alterar o seu sabor. Colha-a pelo pé tal como os coentros.

Sálvia:
Erva aromática com sabor ligeiramente apimentado. Pode secar os raminhos em local seco e escuro, guardando posteriormente as folhas num franco de vidro. As folhas da base da planta são melhores para secar pois são mais ricas em aroma.

Tomilho:
É uma erva bastante versátil! Combina bem com carne de frango e vaca, e a sua robustez permite tempos de cozimento mais logos.  Pode também ser utilizado em marinadas para carnes. Existe uma grande variedade de tomilho com sabores que lembram a hortelã, o limão e o orégão. 

 

ESPECIARIAS

Prefira as especiarias em semente ou grão e moa-as na altura de temperar os seus pratos, de modo a conservar ao máximo todo o seu aroma.

Caso tenha especiarias em pó, conserve-as em recipientes de vidro herméticos protegidos da luz durante um máximo de 6 meses.

Bagas de Zimbro:
Bagas negras de sabor ligeiramente amargo, intenso e adocicado. Bastante utilizadas em gins mas também combinam com marinadas e pratos de carne (especialmente caça).

 

Canela: Provêm da casca da caneleira, uma árvore tropical. Vendida em pau ou em pó, esta especiaria de cor castanha e aroma doce e bastante característico é bastante apreciada em pastelaria.

Cardamomo:
A especiaria em si são as pequenas sementes negras que estão no interior das vagens verdes.

Caril: É uma mistura de variadas ervas aromáticas, raízes e especiarias, em pó. Pode conter curcuma (açafrão das Índias), cardamomo, coentro, gengibre, cominho, casca de noz-moscada, cravinho, pimenta e canela. Apresenta uma cor amarela forte e utiliza-se sobretudo com crustáceos e carnes com molhos.

Cominhos:
Bastante aromáticos, são ligeiramente picantes e amargos.

Cravinho:
Também conhecido por cravo-da-índia, é a flor seca de uma planta. Fica bem sobretudo em conjunção com cebola em pratos cozidos, assados e carnes de caça.

Curcuma:
Também conhecido por açafrão-da-índia, este condimento resulta da moagem da raiz da sua planta. Apresenta uma cor amarela bastante forte, é uma das especiarias que compõem o caril.

Folhas de Lima Kaffir:
Folhas da árvore combava, são vendidas frescas ou secas. Apresentam um aroma citrino e sabor forte, são ligeiramente adocicadas.

Garam Masala:
Mistura de especiarias composta por coentros, cominhos, cardamomo, cravinho, noz-moscada e canela. Esta mistura é muito utilizada na cozinha indiana e oriental.

Noz-moscada:
De cor castanha, esta semente é particularmente utilizada em pratos recheados, guisados e molhos (ex: molho bechamel). Deve moer antes de utilizar pois o seu aroma é muito volátil, ou seja, perde-se com o tempo.

Pimenta:
Também conhecida por Pimenta do Reino, são pequenos grãos que pode encontrar nas cores preta, branca, vermelha e verde. A pimenta rosa não é uma variedade de pimenta, é um fruto e não um grão, embora seja conhecida por este nome. Tal como a noz-moscada deve ser moída instantes antes de utilizar.

Pimentão-doce: Especiaria obtida através de pimentos doces. Tem um sabor pouco acentuado e confere à comida um cor avermelhada. Pode ser utilizado na preparação de carnes e molhos.

Sementes de coentros:
Com sabor muito diferente do da planta, são muito intensas e aromáticas.

Garam Masala:
Mistura de especiarias composta por coentros, cominhos, cardamomo, cravinho, noz-moscada e canela. Esta mistura é muito utilizada na cozinha indiana e oriental.

Wasabi:
Muito apreciado no Japão, este tempero é vendido fresco, moído ou em pasta. É bastante picante e fresco