Passar para o conteúdo principal

Cerejas há muitas, mas como as do Fundão…

cerejas

“As conversas são como as cerejas”, sendo assim conversemos sobre este fruto nutritivo. Estamos na sua época. Até julho ela é a rainha da fruta portuguesa. Neste Made in Portugal vamos falar sobre uma das mais icónicas frutas de Portugal que se tornou marca territorial do concelho do Fundão.

As cerejas são uma excelente fonte de vitaminas e minerais, tais como: Vitamina A, B1, B2, C, Niacina, cálcio, fósforo, ferro, lipídeos e flavonoides. Este fruto com características anti-inflamatórias, protege-nos contra o cancro e ajuda no sono. Mas a verdade seja dita, nada disto nos passa pela cabeça quando estamos perante uma taça de cerejas. Comemos umas atrás das outras, irracionalmente, até sobrarem os caroços para contar a história. 

Este fruto excecional é mais rechonchudo e sumarento lá para os lados do Fundão e Cova da Beira, pelo menos, é o que dizem as Indicações Geográficas Protegidas. É nestes locais que reside quase 60% da sua produção nacional.

A paisagem do Fundão ganha uma nova beleza todas as primaveras. Pinta-se de cor branca e o ar torna-se doce.

Não é possível saber a história exata da “Cereja do Fundão". Mas uma coisa é certa, esta cereja não é só um fruto, é uma obra de arte. O seu paladar doce e fresco foi aproveitado pelos produtores regionais que souberam juntar à sua criatividade o que de melhor a natureza nos dá, numa combinação verdadeiramente deliciosa!

Espera-se que este fruto, à data da sua colheita, revele determinadas características organolépticas para que lhe seja concedida a certificação “Cereja do Fundão”:

- Calibre igual ou superior a 24 mm;
- Consistência com índice Durofel igual ou superior a 60;
- Coloração entre o índice 2 e o 6 da tabela de coloração do CTIFL;
- Conteúdo de sólidos solúveis iguais ou superior a 12º Brix.

Assim, a “Cereja do Fundão”, torna-se dona de uma grande notoriedade e reputação. De elavada importância agrícola, económica e gastronómica é um dos principais ex-libris da região.
Mas existem outros cuidados que são tidos em linha de conta para atingir esta excelência, nomeadamente na altura da colheita: os frutos devem ser colhidos sãos, em estado de maturação adequado e homogéneo, com pedúnculo e sem folhas e devem ser manuseados com o máximo cuidado, de forma a evitar danos mecânicos.

A área geográfica de produção é uma dos grandes responsáveis pelo sucesso deste fruto. A região, com um elevado número de horas de frio durante o inverno, primaveras amenas, proteção dos ventos, solos graníticos e de xisto de encosta, associados à sabedoria dos produtores locais, coloca a “Cereja do Fundão” nos lugares cimeiros dos frutos mais desejados.

A reputação desta cereja pequena e redonda já vem de há muito tempo. Em 1915, em artigo publicado na revista Broteria - Série de vulgarização scientífica, refere-se que apesar de se produzirem cerejas um pouco por todo o Portugal

… as de maior nomeada são quiçá as do Fundão

O sonho de consumo do Cascais Food Lab é uma caixa de 2 kg de “Cereja do Fundão” para fazer pickles, compota, bombons, bolos… A verdade, é que agora é mais fácil comprar esta joia da fruta portuguesa, basta aceder a https://cerejadofundao.pt/store/

Que não hajam mais desculpas para não nos lambuzarmos com uma taça cheia de cerejas redondinhas, doces, de calibre igual ou superior a 24 mm.

Já agora, deixamos aqui o link para uma receita de pickles de cerejas, excelente para um piquenique na Quinta do Pisão.