Passar para o conteúdo principal

Livros com sabor - "Como água para chocolate"

 

Como água para chocolate

Este livro é daqueles que nos arrebata porque toda a trama narrativa gira em torno da cozinha! “Como água para chocolate” da mexicana Laura Esquível, já fazia falta aqui pelo nosso site. Fomos até à Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana e trouxemos connosco este livro, ansiosos para o reler e testar, pelo menos, uma receita. 

Foi com “Como água para chocolate” que a autora se revelou aos leitores portugueses, não fossemos nós adeptos de uma boa gastronomia. Laura Esquível nasceu na Cidade do México. Iniciou a sua carreira como professora e escreveu obras de teatro para crianças. Salientou-se inicialmente como argumentista, mas foi com esta obra literária (o seu primeiro romance) que obteve êxito internacional. 

Cada capítulo do livro, referente a um mês do ano, abre com uma receita mexicana. À volta de cada receita vamos saboreando a história de Tita, acompanhamos amores e desamores, choramos e rimos e ficamos com muita vontade de ir para a cozinha. A narrativa começa em Janeiro com as Tortas de Natal e termina em dezembro com os Chiles em Nogada.  

Este romance passa-se no início do século XX, num pequeno rancho mexicano. Nele vivem três irmãs com a sua repressiva mãe, Elena. Tita é a mais nova. Nasceu na cozinha da casa, quando sua mãe cortava cebolas. Por ser a benjamim da família, e segundo a tradição local, ela não poderia casar e deveria consagrar a sua vida a cuidar da mãe até ao dia da sua morte. Mas Tita apaixona-se por Pedro Muzquiz, que acaba por casar com a sua irmã mais velha Rosaura, para poder estar perto da jovem Tita (por quem, também se apaixonou). 

Mas vamos até à cozinha deste pequeno rancho. Tita tinha uma particularidade, todos os seus cozinhados possuíam propriedades mágicas. Quem provava os seus pratos experienciava o desgosto amoroso que Tita trazia dentro de si. No entanto, ironia do destino, eram os pratos que cozinhava que a ajudavam a ultrapassar os momentos difíceis, eram o seu escape.  

Este drama, adaptado ao cinema, foi produzido e realizado por Alfonso Arau em 1993, e esteve nomeado para o Globo de Ouro, o BAFTA e o Independent Spirit Award de Melhor Filme Estrangeiro. 

Pelo Cascais Food Lab, depois de muito ponderarmos, decidimos confecionar as Rabanadas de Nata, a sobremesa favorita da outra irmã de Tita, a Gertrudis.  

"Enquanto Gertrudis untava a caçarola onde Tita iria deitar a nata batida, não parava de falar. Tinha tantas coisas para lhe contar que nem um mês a falar dia e noite conseguia esgotar a conversa." 

Tanto o livro quanto o filme estão disponíveis para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de Cascais